Vício em maconha leva à redução dos níveis de dopamina no cérebro

Cnnabis sativa L. botanical_7A dopamina é um neurotransmissor importante para o movimento, o pensamento e a memória, mas é também chamada de “prêmio químico” por seu envolvimento nos sistemas de prazer. Já se sabe que o vício em cocaína e heroína diminui a liberação de dopamina, mas a maconha ainda não havia sido investigada neste aspecto.
Pesquisadores recrutaram 11 adultos entre 21 e 40 anos com alta dependência à maconha e 12 controles saudáveis para comparação. Em média, o grupo de usuários começou aos 16 anos, tornou-se dependente aos 20 anos, e teve um comportamento aditivo nos últimos 7 anos. Quase todos fumaram maconha diariamente no mês anterior ao estudo e tiveram que permanecer internados durante a semana do estudo para garantir que não fumassem neste período. Os pesquisadores então mediram uma molécula que se liga à dopamina no cérebro, enquanto os participantes realizavam tarefas.
Não houve diferença significativa entre os grupos quanto ao desempenho nas tarefas, mas:
• Os participantes com menor liberação de dopamina tiveram pior desempenho.
• Os usuários de maconha tiveram menor liberação de dopamina em alguma regiões do cérebro.
O que os pesquisadores não sabem é se a diminuição de dopamina era uma condição pré-existente ou resultado do uso exacerbado de maconha, o que significa que o título acima é um pouco exagerado. Mas em sua conclusão, os autores afirmam que “a longo prazo, o uso exacerbado de maconha pode prejudicar o sistema dopaminérgico, o que poderia causar uma série de efeitos negativos no comportamento e no aprendizado”.

Deficits in striatal dopamine release in cannabis dependence

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *