Uso de canabidiol no tratamento de crises convulsivas refratárias

A epilepsia é uma doença caracterizada por convulsões recorrentes e não provocadas.  Alguns casos de epilepsia não respondem ao uso de medicamentos e é frequente que as crises convulsivas que se iniciam nos primeiros anos da infância sejam resistentes aos tratamentos disponíveis. O uso de suplementos a base de canabidiol vem sendo relatado como uma alternativa para estes casos.

Por ser uma substância presente na maconha, até o ano passado o canabidiol estava na lista de substâncias cujo uso é proibido no Brasil, apesar de não apresentar efeitos psicoativos. Em janeiro de 2015, a ANVISA alterou sua classificação, passando-o para a lista de substâncias de uso controlado. Esta ação se baseou um uma resolução do Conselho Federal de Medicina (nº 2113/2014) que aprova o uso compassivo do canabidiol em crianças e adolescentes com epilepsias refratárias aos tratamentos convencionais. O uso compassivo ocorre quando um medicamento novo, ainda sem registro no país, é prescrito a pacientes com doenças graves que não respondem aos tratamentos disponíveis. Por ser uma substância insolúvel em água, o canabidiol é utilizado como um extrato oleoso da planta, muitas vezes administrado por via sublingual. Muitos produtos à base de canabidiol disponíveis em outros países não são registrados como medicamentos e sim como “suplementos”. Por enquanto, nenhum produto contendo canabidiol foi registrado no Brasil e, para fazer uso mediante prescrição, é necessário solicitar à ANVISA uma licença para importação e cadastrar o paciente.

A maioria dos estudos disponíveis sobre os efeitos anticonvulsivantes do canabidiol se baseia em testes com animais e relata bons resultados. A administração de doses diárias de 200 a 300 mg a humanos se mostrou segura, mas foi avaliada em um pequeno número de pacientes e por curto período de tempo. Há poucas publicações sobre o efeito da substância em humanos e, apesar dos relatos promissores, ainda não há evidências de segurança do uso prolongado desta substância.

Canabidiol é reclassificado como substância controlada
Cannabinoids for epilepsy

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *