Como lidar com disfunções sexuais secundárias ao uso de antidepressivos?

Um dos efeitos colaterais relativamente comuns durante o uso de antidepressivos alterações do desejo sexual e problemas relacionados a ejaculação, ereção e orgasmo. Estes efeitos são bastante desagradáveis, comprometem a qualidade de vida do paciente e podem resultar em abandono do tratamento.
Uma revisão sistemática (veja aqui) das publicações relativas a este assunto foi realizada para tentar definir qual a melhor forma de lidar com este efeito colateral tão indesejável. Após o levantamento dos artigos disponíveis, 23 foram selecionados, dos quais 22 investigavam a associação de outro medicamento ao esquema terapêutico, e um a troca do antidepressivo utilizado. Em conjunto, estes artigos envolviam 1886 voluntários.
Em voluntários do sexo masculino, a associação de sildenafil ou tadalafil ao antidepressivo apresentou bons resultados em relação à disfunção erétil. Já para as voluntárias femininas, o sildenafil não mostrou eficácia. Já a inclusão da bupropiona no tratamento mostrou melhoras nos efeitos colaterais tanto para homens quanto para mulheres.
Os autores da revisão também concluíram que faltam estudos de boa qualidade para avaliar os efeitos das mudanças entre os antidepressivos disponíveis atualmente, assim como o papel de intervenções psicológicas e da descontinuação da medicação durante um curto período. Nenhuma das estratégias avaliadas levou a piora dos sintomas depressivos, mas alguns estudos contavam com pequeno número de voluntários, o que pode ter mascarado esta observação.

AMH-viagra-cats

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *