Transtorno depressivo maior em crianças e adolescentes – vale a pena usar antidepressivos?

O transtorno depressivo maior, também chamado perturbação depressiva major em Portugal,  afeta quase 3% das crianças de 6 a 12 anos e quase 6% dos adolescentes de 12 a 18 anos nos EUA. Geralmente o diagnóstico é feito se a criança ou adolescente experimenta sintomas depressivos (mudanças de humor, irritabilidade, alteração dos hábitos alimentares, tristeza…

Autismo, Asperger e o espectro

O chamado “transtorno do espectro autista” é uma categoria diagnóstica relativamente nova, que engloba doenças antes classificadas separadamente: o autismo, a síndrome de Asperger e outros transtornos do desenvolvimento da integração da infância. O termo “espectro” foi introduzido em referência à grande variedade de sintomas e sua gravidade. É uma doença que afeta a habilidade…

Cogumelos mágicos – um alucinógeno no tratamento da depressão?

A psilocibina é um composto presente em algumas espécies de cogumelos do gênero Psilocybe e que ganhou alguma popularidade na década de 60, junto ao movimento hippie. O composto apresenta ação alucinógena e sua estrutura molecular é análoga à do neurotransmissor serotonina. No entanto, a psilocibina atua em receptores serotoninérgicos distintos daqueles em que atuam…

Mindfulness – isso funciona?

“Mindfulness”, ou como é chamado no Brasil, “mente atenta” ou “atenção plena”, é o processo de concentrar a atenção no momento presente de uma forma não crítica. Trata-se de uma forma de meditação derivada de práticas budistas, que começou a ser investigada empiricamente no final da década de 70, e adquiriu uma grande popularidade recentemente,…

Como lidar com disfunções sexuais secundárias ao uso de antidepressivos?

Um dos efeitos colaterais relativamente comuns durante o uso de antidepressivos alterações do desejo sexual e problemas relacionados a ejaculação, ereção e orgasmo. Estes efeitos são bastante desagradáveis, comprometem a qualidade de vida do paciente e podem resultar em abandono do tratamento. Uma revisão sistemática (veja aqui) das publicações relativas a este assunto foi realizada…

Alguns antidepressivos aumentam o risco de mania e doença bipolar?

As abordagens terapêuticas para tratar depressão unipolar e distúrbio bipolar são diferentes. A ocorrência de mania e hipomania em pessoas que estão em uso de antidepressivos é um efeito adverso do tratamento medicamentoso. O que não se sabe é se os antidepressivos causam mania em pacientes com depressão unipolar ou se apenas acionam o gatilho que…

Prolongamento do intervalo QT – um efeito adverso de muitos psicotrópicos

O coração faz o sangue circular pelo corpo a cada batida, impulsos elétricos fazem o coração contrair e relaxar. Após cada batimento, o sistema se recarrega para a próxima contração. Chama-se “prolongamento do intervalo QT” o aumento do tempo de recarga entre os batimentos. Trata-se, portanto, de uma arritmia cardíaca. Esta arritmia pode ser hereditária…

Antidepressivos podem ajudar a parar de fumar?

Alguns medicamentos e suplementos utilizados no tratamento da depressão têm sido testados como terapia para pessoas que querem parar de fumar. Os antidepressivos bupropiona e nortriplina costumam ser prescritos a estes pacientes. Uma revisão avaliou se o uso destes antidepressivos aumentou a chance de os pacientes permanecerem em abstinência de cigarro por seis meses ou mais. Os estudos com…